Marcos Barros revela proposta de uma CPI para apurar irregularidades do IPAM

  • Autor: Redação - Data 12/07/2018

 

Foi realizada na manhã desta terça-feira (10), uma reunião com presidente da Câmara Municipal de Cajazeiras, Marcos Barros de Souza (PSB) com a presidente do SINFUNC – Sindicato dos Funcionários Municipais de Cajazeiras, Elinete Lourenço, e com todos os vereadores para tratar da situação financeira do instituto de Previdência e Assistência Social Municipal de Cajazeiras (IPAM).

De acordo com Marcos Barros, a partir desta reunião foi concluído que será encaminhado um documento ao Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCE), Ministério Público (MP), como também ao secretário de finanças, ao procurador jurídico presidente do IPAM, contando a realidade do instituto, as providências serão tomadas, após receber o documento oficial do IPAM.

O presidente Marcos Barros, afirmou que será encaminhado ao plenário da Câmara de Cajazeiras a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para poder apurar as responsabilidades das dividas do instituto e do não cumprimento do pagamento dos parcelamentos que foram feitos ao longo deste tempo da atual gestão e das gestões anteriores.

Foi designado uma composição composta pelo vereadores Francisco Jucinério Félix Filho – (PPS), Antônio Moacir Leite de Menezes Filho (DEM), Rivelino Martins de Oliveira (PSB) e Eriberto, também composto pela apresidente do SINFUNC – Sindicato dos Funcionários Municipais de Cajazeiras, Elinete Lourenço e pelo conselho municipal de Educação, com isso será feito encaminhamentos as autoridades citadas, ressaltou Marcos Barros.

“O tempo de resposta do IPAM tem duração de 20 dias prorrogados com mais 10 e o Sinfunc já está com 15 dias que protocolou”, explicou Marcos Barros.

Entenda

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) é um organismo de investigação e apuração de denúncias que visa proteger os interesses da coletividade (da população brasileira).

Fonte: TV Sertão da Paraíba

Desenvolvido por Quick
Todos os direitos reservados ao portal Nova Opinião