Rei da Tapioca recebe prazo para deixar seu ponto de venda e caso revolta população; Prefeitura nega o fato e diz que houve apenas orientação. Veja!

  • Autor: Redação - Data 07/07/2017

Um fato recente envolvendo o “Rei da Tapioca” revoltou a população cajazeirense e chamou a atenção da imprensa paraibana. Na manhã desta quinta-feira (06) o jovem Pedro Lima teria recebido um ultimato por parte de um servidor municipal de que só poderia permanecer no local onde vende suas tapiocas recheadas até o próximo sábado (09), tendo em vista a implantação da Zona Azul.

O Rei da Tapioca, como é popularmente conhecido, usou suas redes sociais para divulgar a notícia da atitude tomada pelo governo municipal. A informação revoltou os internautas de toda a região. “Infelizmente quem quer trabalhar nesse país é tratado dessa forma. Uma vergonha” lamentou um popular. “Esse é o jeito certo que a maioria da população resolveu apostar”, disparou outro internauta.

Pedro Lima tem 30 anos de idade e trabalhava no comércio de Cajazeiras. Recentemente Pedro ficou desempregado e decidiu tentar uma nova profissão, desta vez fazendo e vendendo tapiocas pelas ruas do centro da Terra de Padre Rolim. A tentativa deu certo e é da venda de suas tapiocas que ele tira o dinheiro para a sobrevivência de sua família.

Depois da repercussão negativa, a Prefeitura Municipal de Cajazeiras emitiu uma nota na qual nega a imposição do prazo que o Rei da Tapioca diz ter recebido e que o que ocorreu foi apenas uma orientação para que o vendedor se adeque às normas da Zona Azul, que deverá estar sendo implantada em breve.

Fonte:

Desenvolvido por Quick
Todos os direitos reservados ao portal Nova Opinião