Em seis anos de guerra, número de refugiados sírios supera os 5 milhões

  • Autor: Redação - Data 30/03/2017

O número de pessoas que fugiram da guerra na Síria ultrapassou a marca de cinco milhões, informou hoje (30) em Genebra o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur), Filippo Grandi.

O número de refugiados registrados, principalmente na Turquia, Líbano, Jordânia, Iraque e Egito, chega a 5,018 milhões. Cerca de 400 mil pessoas foram mortas até agora durante a guerra, que começou há seis anos na Síria.

"Quando o número de mulheres, homens e crianças em fuga de seis anos de guerra na Síria passa da marca de 5 milhões, a comunidade internacional precisa fazer mais para ajudá-los", diz um comunicado da Acnur.

Filippo Grandi pediu à comunidade internacional mais ajuda aos refugiados, lembrando que um ano após a decisão de criar 500 mil lugares para o reassentamento de refugiados, apenas metade da meta foi cumprida.

"Se quisermos atingir os nossos objectivos, precisamos intensificar os nossos esforços em 2017", disse Grandi.

Zaatari

Foto divulgada pelas Nações Unidas mostra o secretário-geral do órgão, Antonio Guterres, em visita ao campo de refugiados de Zaatari, na Jordânia, que abriga atualmente 80 mil refugiados síriosSahuem Rababah/Imagem de divulgação/direitos reservadosFoto divulgada pelas Nações Unidas mostra o secretário-geral do órgão, Antonio Guterres, em visita ao campo de refugiados de Zaatari, na Jordânia, que abriga atualmente 80 mil refugiados síriosSahuem Rababah/Imagem de divulgação/direitos reservados

 

Na terça-feira (28), o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, pediu à comunidade internacional que reforcem seu apoio aos refugiados sírios e aos países que os abrigam alertando que, caso contrário, a segurança global estará em risco.

Guterres, que foi chefe do Acnur de 2005 a 2015, falou com a imprensa durante uma visita ao campo de Zaatari, localizado ao Norte da Jordânia. O campo é o maior da região e, atualmente, abriga cerca de 80 mil refugiados sírios.

“Vocês podem imaginar o quanto é difícil e triste para mim, depois de trabalhar como Alto Comissário da ONU para Refugiados por dez anos, perceber que ainda hoje o campo de Zaatari tenha tantos refugiados sírios, e que os conflitos continuam acontecendo no país. Isso é terrível” disse Guterres.

*Com informações da Agência DPA e da Acnur

Fonte: Agência Brasil

Desenvolvido por Quick
Todos os direitos reservados ao portal Nova Opinião