Genival Dantas - genivaldantas@hotmail.com

Escritor e poeta natural da cidade de Pombal-PB, reside atualmente em Navegantes-SC. Graduado em Letras pela UFCG, Pós-graduado em Administração Hospitalar e Gerência Mercadológica. Já foi radialista e atualmente escreve para sites e revistas artigos e poesias que tratam da democracia plena, política e demais assuntos da atualidade.

Balacobaco às avessas da incongruência econômica

  • Postado em 23-10-2016

Quando o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), divulga os números referentes ao resultado econômico do 2º trimestre desse ano, comparativamente ao mesmo período do ano anterior, o desânimo toma conta da alma da gente. Uma perplexidade paira no ar, mormente quando se anuncia o resultado do PIB (Produto Interno Bruto), 1.9% de retração, no mesmo período que outras economias são citadas com resultados positivos, e as que estão negativas já eram sabidamente esperados os números anunciados.

O que mais nos surpreende não são os fracos índices da nossa economia, mas, a forma que o governo encontra para dar uma resposta a opinião pública que esperava uma atitude para tentar parar o crescimento dos números negativos que vem recrudescendo na proporção que o tempo avança e as ações governamentais estão mais próximas do descaso, com o quadro endêmico da economia, que uma atitude de coerência e basilar na tentativa de, mesmo que palidamente, tentar reverter a situação em estágio de desalento para o Brasil.

Com a economia mostrando toda sua debilidade, inclusive entrando em curva decrescente a área do agronegócio, a única que ainda teimava em se manter positiva; a educação mergulhada numa greve insustentável e de danoso prejuízo ao mundo universitário; a saúde em estado de penúria, com pacientes em macas, nos corredores de diversos hospitais da rede pública, e em vários Estados da Federação, enquanto aguardam um atendimento emergencial, que pode demorar horas ou dias, muitos com quadro crítico, com necessidades até de intervenções cirúrgicas, o que é mais grave, clientes acometidos de câncer e doenças cardiovasculares e diabéticos, essas são as noticiais que são veiculadas na mídia nacional, para espanto de todos nós.

De repente o marketing político, sustentado por verbas federais, começa a anunciar um país educativo, com suas ações voltadas para o campo educacional, políticas de saúde pública atendendo os brasileiros mais carentes, e todo esforço sendo feito para o país voltar a crescer. Pobre povo o nosso, principalmente aqueles que não têm noção do que seja uma recessão técnica, um PIB negativo por dois trimestres seguidos, com inflação e juros altos, aniquilando a economia já em farrapos de tantos abusos sofridos, por aqueles que deviam recalcitrar todos os procedimentos e coloca-la no prumo positivo.

Essa não é apenas uma pequena travessia momentânea e sem nenhuma importância, como querem que acreditemos, a situação é muito mais complexa e de difícil solução, mas, querem tampar o sol com a peneira por onde passam granulados de grosso diâmetro, ou seja, repetem os erros de sempre e tentam resolver os problemas de gestão com a repetição de mentiras recorrentes em todo gestão maculada por ações e gestos não republicanos, uma verdadeira afronta para quem tem um mínimo de memória e mesmo sendo provido de pouca inteligência.

Não se resolve um problema de confiança e credibilidade apenas com palavras, promessas e propaganda, desenhando um mundo hipotético, inexistente e inatingível. É preciso muito mais, ações pontuais e objetivas, projetos realistas com possibilidades de execução em prazos definidos e aceitáveis. Não é hora de sonhos mirabolantes e espetaculosos, ideias fantasiosas, gastos reprováveis, sem nenhuma economia de valores. É hora de pensar a longo prazo, mas, com alguns resultados positivos imediatos, porém, sustentados, nada de ilações, conjecturas ou aventuras. O Brasil espera muito mais dos poucos que ainda podem provar que o país é viável e factível de uma política sadia e de políticos, acima de tudo, sem ações politiqueiras.

Genival Torres Dantas
Escritor e Poeta

Artigos do Colunista

Desenvolvido por Quick Tecnologia
Todos os direitos reservados ao portal Nova Opinião